Menu

Técnicas de estudo para o 1º período

Estas são algumas técnicas de estudo a serem aplicadas durante o ano letivo 2021/2022, de forma a fomentar uma maior e melhor aprendizagem dos conteúdos dados na escola.

Técnicas de estudo para o 1º período

O arranque o 1º período letivo do ano escolar 2021/2022 já começou, ao longo destas semanas os alunos vão revisitar conhecimentos dados no ano letivo passado, mas acima de tudo irão estar expostos a nova matéria, diferentes disciplinas e contextos de pensamento e compreensão.

Para garantir que os estudantes começam logo a apreender a nova matéria dada em aula, de forma eficaz e consciente, é necessário que no momento de estudarem, seja em casa, na biblioteca ou com colegas de turma, estes saibam como priorizar o ambiente certo para a sua concentração e produção, bem como já tenham estratégias pré-definidas de como organizar os seus apontamentos.

Estes são algumas das técnicas de estudo a serem aplicadas pelos alunos portugueses, durante o 1º período letivo:

1. O espaço indicado para estudar

Antes de mais nada, o aluno tem de ter a consciência que locais que sejam por norma ruidosos, com barulhos de fundo ou outros estímulos constantes, não são em nada aliados a momentos de produtividade e concentração individual.  

Saber escolher um lugar calmo é bastante benéfico para o cérebro estar num estado de maior repouso, apenas se focando em tarefas essenciais. Estudos admitem que o cérebro, quando exposto a cerca de duas horas de silêncio, consegue desenvolver novas células no hipocampo.

Assim, o primeiro passo a ter em consideração é a escolha de um local onde o estudante, automaticamente, associe ao estudo e não à distração ou brincadeira. Seja um escritório em casa, uma secretária no quarto, um canto confortável (com boa ventilação e luz) na biblioteca, ou na casa de um amigo, o que é importante é que estes espaços forneçam todas as condições para o aluno estudar com conforto, sossego e foco.

2. Os essenciais necessários para o estudo

Durante o momento de estudo é importante que o estudante defina aquilo que realmente precisa durante as horas que vai dedicar à revisão de matéria e à realização de exercícios. Demasiados acessórios e gadgets podem prejudicar a concentração.

Portanto, definido o “canto de estudo” depois é preciso listar o principal material escolar principal necessário para garantir a produção do aluno.

Se for necessário ter o computador à mão, de modo a servir como ferramenta de anotações, estruturação de apontamentos ou método de pesquisa, senão é um elemento dispensável, tal como ipads, smartphones, entre outros.

Geralmente, estes acessórios só prejudicam, pois os estudantes facilmente cedem à tentação de aceder a redes sociais, websites ou videojogos, em nada relacionados com a escola.

 Fora isso, aconselha-se que para as sessões de estudo os alunos tenham:

 

3. A técnica para memorização: escrita à mão

Por muito que ainda existam estudantes a acreditar que basta pedirem os apontamentos emprestados ao amigo estudioso e atento da turma, ou escreverem a partir do computador durante as aulas, de modo a conseguir aprender e a passar nos testes, este é um pensamento, na verdade, errado.

Estudos na área da psicologia apontam que os estudantes que escrevem à mão os seus apontamentos são aqueles que mais facilmente aprendem a matéria dada. Escrever à mão permite que os alunos criem um melhor pensamento conceptual sobre a informação partilhada pelos professores.

Tal técnica permite que o aluno seja capaz de sintetizar e estruturar notas de uma forma mais aproximada ao modo como o cérebro processou a matéria dada, comparativamente quando o faz num computador.

Consequentemente, para garantir que os apontamentos escritos à mão estejam bem organizados e visualmente bem estruturados é essencial que o estudante tenha consigo material de papelaria indicado para o efeito:

 

4. Um horário rigoroso definido

Para qualquer tarefa que envolva profundas horas de estudo ou trabalho a pessoa tem de saber gerir momentos do seu dia para o fazer, não basta pensar “faço-o quando tiver tempo livre”. Isso nunca vai acontecer.

Logo, é importante que o aluno distribua horas de estudo no seu horário semanal, sendo rigoroso sobre aquilo que tem de fazer e sobre o tempo que tem para finalizar essa tarefa.

As horas de estudo devem ser consistentes, mesmo que sejam apenas pequenos períodos durante o dia (e.g. meia hora). É melhor estudar 30 minutos, diariamente, do que estar durante várias horas a fazê-lo só porque o teste ou exame é no dia seguinte.

Uma das técnicas, mais conhecida globalmente, é a Técnica Pomodoro. Ou seja, o estudo é feito por partes, começando por um período totalmente de foco (durante 25 a 30 minutos), seguido de uma pausa (por norma de 5 a 10 minutos).

5. Uma recompensa por tarefa realizada

Não existe nada melhor do que o sentimento de dever cumprido. Tal aplica-se também ao estudo, realizado pelo aluno durante o ano letivo.

Uma das técnicas mais eficazes para o estudo é que o aluno “entre” na tarefa com uma atitude positiva e com uma recompensa para si mesmo já em vista. Portanto, sempre que concluir aquilo que pretende, o jovem estudante tem o direito de fazer algo que gosta.

A partir do momento em que o aluno integra um sistema de “recompensa” associado às suas sessões de foco e produção, toda a visão do ato de estudar torna-se menos penosa.

Por cada período de estudo concluído a criança ou adolescente pode:

  • Beber a sua bebida favorita;
  • Passar tempo com os amigos;
  • Assistir à sua série televisiva preferida;
  • Dormir uma sesta;
  • Entre outros.

Estas são as técnicas de estudo partilhadas para o início deste ano escolar. Agora é hora de colocar mãos à obra.

 

A note! deseja que todas as sessões de estudo sejam rigorosas e bastante produtivas, ao longo do ano letivo 2021/2022!