Menu

10 leituras convidam a uma viagem repleta de sabor by "Desculpas para Ler"

 

10 leituras convidam a uma viagem repleta de sabor by "Desculpas para Ler"

Dizem que cozinhar é um ato de amor pela dedicação e entusiasmo que imprimimos na sua preparação. Há uns tempos li que “a poesia é para ser sentida, degustada como um bom vinho ou como os perfumes que nos elevam aos céus”.

Os autores do livro “Os livros das nossas vidas” de Mendo Henriques e Nazaré Barros acrescentam que “o leitor é um verdadeiro provador dos melhores sabores”. Refleti sobre este tema e, na verdade, conclui que muitos livros integram elementos de culinária nos seus livros, ou mesmo não sendo explícitos convidam-nos a viajar ou a conhecer novas culturas ou, simplesmente, nos recordam situações, notícias ou histórias que ouvimos. A capacidade de relacionar enriquece-nos e alimenta a nossa curiosidade.

 

No Mercado de Livro note! descobri o livro de receitas “Prato do Dia” da criativa Filipa Gomes e selecionei alguns livros que “provei”. Sim, sabor ou melhor, sabores que combinam e inspiram muitas das receitas que a Filipa Gomes nos sugere.

 

“História de um Gato e de um Rato que Se Tornaram Amigos”, de Luis Sepúlveda

Uma embalagem de cereais coloridos, estaladiços e saborosos, fazem as delícias do gato Mix e do rato Mex. Para a leitura deste livro sugerimos barritas de morango, que “são uma espécie de tarte crumble”, tal lembra a versatilidade de uso dos ingredientes que temos em casa e que piscam o olho ao gosto dos mais pequenos.

 

“Hotel Melancólico” de María Gainza

O gelado de doce de leite dá para matar saudades do verdadeiro dulce de leche argentino, típico do país da América do Sul. María Gainza, natural de Buenos Aires, brinda-nos com um romance onde as fronteiras entre realidade e ficção são bastante ténues desde a narração até às personagens. “Hotel Melancólico” respira arte, tal como o sabor do doce de leite parece ser uma obra-prima dos deuses.

 

“O Segredo da Contadora de Histórias” de Sejal Badani

Com os Descobrimentos chegaram à Europa ingredientes diferentes e saborosos que se entranharam nos novos hábitos alimentares. As especiarias são um verdadeiro exemplo disso. Para acompanhar “O Segredo da Contadora de Histórias” de Sejal Badani sugerimos os caracóis de canela e o bolo de cenoura e laranja com especiarias.

 

“História de uma Família Decente” de Rosa Ventrella & “A Técnica Pomodoro” de Francesco Cirillo

Disseram-me uma vez que em todos os países no mundo existe um restaurante italiano e a cozinha italiana é das mais consensuais. Fiquei deliciada com as combinações surpresa da Filipa, aliando o sotaque italiano com sabores de conforto. Pizza folhada de queijo e doce de abóbora, bem como o prazer sem culpa dos filetes de robalo em cama de tagliatelle de curgete.

Receitas ideias para saborear com calma, como nos ensina o livro “A Técnica Pomodoro”, não deixando nada no prato, enquanto acompanha a “História de uma Família Decente”, nos anos 80 do Sul de Itália.

 

“O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas” de José Tolentino Mendonça & “A Vida no Campo” de Joel Neto

O prego em bolo do caco com cascas de batata-doce e maionese de queijo azul e o lombo de porco com abacaxi levam-nos de viagem pela frescura dos Arquipélagos da Madeira e dos Açores, pela mão de Tolentino Mendonça e o seu “O Pequeno Caminho das Grandes Perguntas” e pelo diário de Joel Neto, “A vida no Campo”.

 

“Mademoiselle Chanel” de C. W. Gortner

Coco Chanel foi uma estilista francesa e fundadora da marca Chanel, sendo considerada uma das pessoas mais importantes da história do século XX. Foi pioneira e singular, tendo produzido as primeiras calças femininas.

Um pesadelo para os mais conservadores, tal como é preparar o típico soufflé de queijo. Se preferir confecionar rostis de batata e alecrim, então é só seguir os ensinamentos suíços, tal como Chanel que, após a guerra, passou a residir temporariamente na Suíça.

 

“O Livro dos Curiosos”, de Contraponto Editores

“O livro dos Curiosos” une gerações e bons serões em família, daqueles sem horas. Os livros podem ser a base para passatempos divertidos, acompanhados por snacks que já por si, chamam festa e diversão: pipocas de caramelo e folhados de salsicha fresca e alecrim. Promete, certo?

 

“A Máquina de Fazer Espanhóis” de Valter Hugo Mãe

A busca pelo reencontro e o colo surgem com as farófias no forno. A Filipa Gomes refere que é “uma coisa só nossa” e na verdade, lembra o aconchego da casa da avó. Lembra também como devemos aprender com os velhos e as suas histórias. O livro “A Máquina de Fazer Espanhóis» de Valter Hugo Mãe fala de envelhecimento e da importância da memória. Para refletir.

 

Estes exemplos revelam como, ao experimentarmos diferentes géneros literários, também estamos a “provar” sabores, enquanto nos deliciamos com histórias de ficção e com as histórias dos alimentos, desde sua confeção até à sua entrega. “Comer bem e ser feliz”, o que podemos querer mais?

Texto by Desculpas para Ler. Especial Mercado do Livro note!