Menu

Os contadores de histórias são os nossos livros by "Desculpas para Ler"

A importância de ler em voz alta promete criar o leitor de amanhã. 

Mercado do Livro: Os contadores de histórias são os nossos livros by "Desculpas para Ler"

Ler em voz alta surge como algo importante e natural na infância. Quando não sabemos ler, quando apenas trauteamos, o livro é um som. Das bocas dos nossos pais, dos nossos avós, saem sons mágicos. Sons que formam palavras e escrevem histórias fantásticas, de mundos imaginários que nos deliciam. A palavra fala do mundo e imagina-o com o seu ritmo e com a sua melodia.

Estimular a leitura e a vontade de ler inicia-se com a leitura em voz alta. Por isso, a importância dos contadores de histórias.

Um inquérito de 2019, ― promovido pela McDonald’s Portugal, com o PNL 2027 e o Expresso, sobre «O que leem os nossos filhos» (analisou os hábitos de leitura das famílias portuguesas, com crianças e jovens entre os 5 aos 15 anos) ― destaca que só cerca de metade dos pais portugueses têm hábitos de leitura com os filhos e apontam a falta de tempo como a principal razão para não o fazerem. A falta de tempo assume-se como uma «boa desculpa» se percebermos que desviamos a nossa atenção para outros «entretenimentos alheios», tais como o «passeio pelas redes sociais». Assim, o que está aqui em causa, não é a falta de tempo, é a fraca motivação e vontade.

O mesmo estudo revela a importância de ouvirmos histórias, desde pequenos, como fator importante para o «desenvolvimento de bons hábitos de leitura nas crianças». O gosto pela leitura, associado à escrita, constitui uma variável diretamente ligada ao êxito escolar e futuro profissional e social do indivíduo.

Contudo, quando o hábito de leitura se encontra ligado ao trabalho escolar, o gosto e empenho facilmente perde-se, surgindo como uma garantia contra o insucesso. Ler passa a ser uma escolha involuntária, uma obrigação. Ou seja, para além de ler, temos a obrigação de ter vontade de ler.

Aqui, os educadores têm o papel fundamental de estimularem essa ligação emocional entre as crianças e os livros, dando-se a si mesmos como exemplo. O estudo reforça que entre os pais com hábitos de leitura, 71% dos filhos apresentam rotinas de leitura (+4% que o total), e entre os pais que costumavam ler para os filhos 68% dos filhos leem de forma regular (+1% que o total).

Está comprovada a importância e influência determinante de os pais lerem em voz alta. Estes devem encorajar as crianças a ler, de modo a «estimular a sua imaginação e tornar a leitura num momento divertido e partilhado em família, bem como proporcionar um maior acesso aos livros.»

Assim, é essencial não esquecer o que sentimos quando aninhados nos lençóis, o que surge pela voz dos nossos pais:

Eles são o Livro.

Eles aquecem as palavras.

Dão voz às personagens.

Inventam cenários.

Contam histórias em criança que constroem o leitor de amanhã.

 

 

Texto by Desculpas para Ler. Especial Mercado do Livro note!