Menu

Escrita à mão: os verdadeiros benefícios para estudantes

Crianças mais focadas? Com maior capacidade de retenção da informação? Com melhor capacidade de leitura? Saiba como escrever à mão pode ser bastante benéfico para os jovens estudantes.

Escrita à mão

A escrita cursiva corresponde a qualquer estilo de escrita à mão criada para comunicar, que não seja impressa. Em Portugal, com base no alfabeto latino, as letras encontram-se geralmente interligadas, de forma a criar uma palavra, sendo possível a sua composição num único traço.

Sabe-se que a contínua implementação de tarefas que incentivem os jovens estudantes a usar a escrita à mão na escola, bem como em outras tarefas do seu dia-a-dia, é fundamental para: estimular a criatividade da criança e melhorar a sua performance na expressão e variedade verbal. Descrevemos, mais ao detalhe, os verdadeiros benefícios associados à escrita à mão:

 

Retenção de informação

Sabe-se que os estudantes que escrevem à mão, na altura de criarem apontamentos, bem como para estudarem, em comparação com aqueles que usam teclados, tendem a criar um melhor processamento da informação que escutaram. Porquê? Ao ouvirem os professores, os estudantes primeiro processam as palavras ouvidas e, seguidamente, fazem uma interpretação pessoal destas mesmas palavras, convertendo-as na sua própria forma de escrever. Ao usar, simplesmente um teclado, os estudantes tendem apenas a “copiar” aquilo que ouvem e a usarem menos palavras.

A experiência física de usarmos as nossas próprias mãos, para escrever e produzir conteúdo, reserva-se como uma excelente oportunidade para aprendizagem e memória.

 

Desenvolvimento Cognitivo

A escrita cursiva ativa mais partes do cérebro, em comparação com a ação de digitar num teclado. Portanto, a escrita à mão desenvolve uma “especialização funcional” cerebral que integra níveis de pensamento, memória e sensação.

As crianças, ao desenvolverem uma prática consistente da escrita cursiva, faz com que estas usem habilidades motoras finas como processamento visual e táctil. É o toque físico combinado entre o papel e a caneta que melhora as funções cognitivas dos estudantes.

 

Dislexia e outras deficiências de aprendizagem

Sabe-se que a escrita à mão pode ajudar distúrbios genéticos de aprendizagem, como é o caso da dislexia. A dislexia corresponde a uma desconexão funcional entre o auditivo e os centros de linguagem do cérebro, o que afeta a leitura, a ortografia e escrita da criança. A prática constante de escrita cursiva vem juntar estes dois pontos de cognição. Tal melhora, significativamente, o desempenho escolar da criança, longo dos anos.

Segundo o British Dyslexia Association, está provado que um fluxo contínuo de escrita à mão ajuda os estudantes disléxicos a facilmente deixar de confundir letras como “b”, “d”, “p” e “q”.

A memória física ajuda as crianças disléxicas a analisar cada letra de uma forma que não é possível se apenas a digitarem, pois “cada letra manuscrita é integrada dentro do seu nome e som definidos”.

 

Descobre o melhor material de escrita em noteonline.pt